O Gab é uma rede social que surgiu em 2017 com o objetivo de possibilitar a livre expressão de ideias na internet. É visível como algumas redes sociais têm manipulado os seus resultados e divulgação de conteúdos que não os apraz politicamente.

A rede social já foi acusada de ser um site de discurso de ódio, e por esta má fama, construída por ativistas sociais em todo o globo, ela foi retirada de hospedagens, sistemas de pagamento, registradoras de domínio, lojas de aplicativos e várias outras coisas. Felizmente ela conseguiu encontrar fornecedores para cada uma dessas áreas e hoje está ativa e crescendo.

Tudo o que ocorreu com esta rede social indica uma tentativa de censura prévia de opiniões divergentes ou consideradas “problemáticas”. A resposta que deram para o Gab a cada bloqueio era “Não consegue usar serviço X? Faça o seu próprio!”. Em uma dessas nasceu o Dissenter.

O Dissenter foi construído inicialmente para ser uma sessão de comentários da internet. Era só um site e uma extensão do Chrome para poder comentar sobre o que quiser em qualquer local da internet, mesmo se a página em que estiver tenha bloqueado comentários. Como era de se esperar, a Chrome Store e a Firefox Add-ons baniram a extensão de suas lojas.

Por causa disso, o Dissenter virou um navegador baseado no Brave (que usa Chromium como motor de renderização), que tem todas as preocupações com privacidade, suporte a extensões, além de trazer a extensão antes bloqueada por padrão. Hoje o navegador é uma alternativa ao Chrome bastante decente.

Não importa se você concorda ou não com a forma que o Gab atua na Web. O que interessa é ver que há um cerceamento de conteúdo, que prejudica a livre circulação de informação na internet.

Pare para pensar: quem ganha com isso? Quem vigia os vigilantes? Será que vale a pena controlar o que pode ser dito? E se uma informação importante para a humanidade for censurada por não bater com interesses de grandes corporações, ficaremos sem ela?

Se nem isso ainda faz você parar para pensar um pouco, não tem problema, foquemos na lição que o Gab tem a nos dar: faça dos limões dados uma limonada. Hoje existem diversos produtos que a empresa fez por causa desses limões: Trends, Apps, Gab com base no Fediverse (conteúdo incensurável), navegador, extensão de comentários, chat e acredito que outros virão.