dois:pontos

O Flash morreu. E agora?

- 4 min

Como alguns já sabem, a Adobe encerrou as atividades do famigerado Flash Player. A partir do dia 12 de janeiro de 2021, mesmo se você tiver o plugin instalado, o conteúdo não será exibido.

Origem do Flash

O software foi criado pelo Jonathan Gay, que trabalhava na empresa Silicon Beach Software, especializada em jogos para Mac. A empresa foi comprada pela Aldus, a empresa que criou os saudosos Pagemaker e FreeHand. Jonathan criou a Future Wave Software e usou o seu talento para criar um programa chamado SmartSketch, para criar desenhos em mesas de desenho da época. O programa também foi portado para PCs, mas a concorrência era muito difícil: Illustrator e FreeHand dominavam o setor.

Após verem ser inútil concorrer com aqueles programas, a Future Wave resolveu focar em tranformar o SmartSketch em um programa de animação vetorial, chamado FutureSplash (o negrito que coloquei é proposital) Animator, que vinha com as ferramentas de criação de vetores e controle de quadros de animação e interatividade. O software vinha também com um player chamado FutureSplash Player.

FutureSplash Animator: para quem já usou o Flash, tudo é muito familiar, a diferença era que se faziam círculos usando a ferramenta "lápis".

O programa fez sucesso e chamou a atenção de empresas como a Fox, Disney e eventualmente a Macromedia (saudades), que comprou a Future Wave e adicionou algumas ferramentas e rebatizou o FutureSplash para Flash. Alguns anos depois, após a versão 8 do Flash, a Macromedia foi comprada pela Adobe.

Internet

Lembro de quando o Flash estava no auge, diversos sites começaram a usar a tecnologia, e foi um divisor de águas na forma em que se encarava a distribuição do conteúdo na internet.

Todos os sites mais conhecidos queriam ter acesso àquelas animações e interatividade que o Flash proporcionava. A conexão não época não era tão rápida, e confesso que era chato ficar no aguardo do carregamento do site. Mais chatos eram os barulhos e músicas de fundo...

Muitas animações e jogos foram criados, devido à facilidade de criação de conteúdo e o peso relativamente pequeno de uma arquivo exportado em Shockwave Flash (SWF).

Ele dominou uma grande fatia da internet. Chegou a estar presente em 95% dos computadores e deu início a uma nova maneira de enviar conteúdo na internet: os vídeos. O YouTube por muitos anos servia seus vídeos via Flash.

Queda

Toda tecnologia, após certo tempo de uso começa a ficar saturada e decair e outras surgem em seu lugar. A decadência do Flash começou a acelerar após o anúncio de Steve Jobs de que os celulares de sua empresa não usariam o player.

Por que Steve Jobs odiava o Flash?

Steve tinha como convicção de que as tecnologias para a web deveriam ser de código aberto. O Flash era proprietário e qualquer alteração deveria ser feita apenas pela Adobe. Outra coisa que pesou na escolha de Jobs era que o conteúdo não era amigável a aparelhos móveis e sobretudo consumia muita bateria.

A Adobe levou no pessoal e chegou a afirmar que a Apple é que não soube implementar um melhor aproveitamento da bateria de seus celulares. A Apple ignorou isto prontamente e bloqueou o Flash. Como a partir daquele momento o que ditava as regras eram os novos dispositivos móveis, a Adobe perdeu.

Além disso, o Flash Player continha diversas brechas de segurança. Quando criado, o programa não pensou que o programa pudesse ser hackeado, apenas nos recursos que proporcionaria. O código ficou gigante durante os anos e as brechas só poderiam ser fechadas com a completa reescrita do programa.

Morte

Em 31 de dezembro de 2020, a Adobe deixou de suportar o Flash1, recomendando sua desinstalação, e todos os navegadores que ainda o suportam deverão retirar e cessar qualquer desenvolvimento do Flash Player.

A morte referida aqui é apenas do player e do suporte oficial ao formato Shockwave Flash (SWF) como uma forma de visualizar conteúdos na internet.

Como visualizar Flash em 2021?

Se você ainda tem esperança de algum dia rever aqueles joguinhos (Ah! Stackopolis, estou falando de você!) e outras animações, existe um projeto chamado Ruffle.

O Ruffle2 é um emulador de Flash, feito na linguagem de programação Rust3. Para usá-lo basta colocar um script na página e apontar para o arquivo Flash que deseja, ou seja, sem a instalação de plugins de terceiros. Existe também uma extensão para navegador e uma ferramenta em linha de comando para rodar arquivos Shockwave Flash em computadores. Uma versão com interface gráfica está nos planos no projeto. O Ruffle tem patrocinadores, entre eles o Newgrounds.com e o New York Times.

Futuro

Só lembrando que isso em nada interfere no Adobe Animate, que é o Flash rebatizado. O programa agora tem foco no mercado de animação 2D e ainda tem um bom caminho pela frente. O futuro do Flash está nesta área.


  1. Flash Player - End of Life

  2. Ruffle: Flash Player Emulator

  3. Rust: A linguagem Rust é mantida pela equipe da Mozilla e procura ser mais uma opção de linguagem de baixo nível, fazendo tarefas que antes só eram possíveis com linguagens com C, C++ ou Assembly.

Comentários